GetNet importa executivo para preparar internacionalização

Ivo Madoglio

A GetNet Tecnologia está contratando executivos de empresas concorrentes da América do Sul. A tática da empresa envolve o uso do conhecimento desses profissionais, primeiro para melhorar a operação no Brasil. Num segundo momento, esses executivos desenvolvem no Brasil o embrião do que será a equipe que trabalhará nas unidades que a empresa pretende abrir no país de origem dos contratados.
A GetNet é responsável pelo gerenciamento de transações eletrônicas e pretende abrir subsidiárias na Argentina, no Paraguai, no Chile e no Uruguai até 2010.
Outros países, como México, Colômbia e Venezuela, também estão na lista da empresa. “O Uruguai será o primeiro destino internacional a ser consolidado. Estamos com praticamente tudo acertado”, afirmou o presidente da GetNet Tecnologia, José Renato Hopf.
A importação de executivos foi iniciada com a idéia de apenas agregar visões diferentes às atividades da empresa. “A mescla de funcionários com experiências e vivências diferentes do nosso mercado nos trouxe em muitos momentos a possibilidade de melhorar o nosso produto”, disse Hopf.
De acordo com o presidente da GetNet Tecnologia, os funcionários importados já eram considerados ‘velhos’ para atuar em seus países, mas a GetNet os contratou porque sempre procura misturar funcionários jovens com profissionais experientes.
“A vinda de dois paraguaios, um boliviano, um argentino e três uruguaios resultou em processos e sistemas inovadores para a empresa. Assim, começamos a pensar na exportação de nossos serviços e, por que não, na exportação de nossos profissionais. Claro que teremos executivos nativos, mas alguns brasileiros também devem ser transferidos para os novos destinos”, comentou Hopf.
Ele também afirmou que a empresa dedica muito tempo à escolha das pessoas. “Não queremos os chamados carreiristas, e sim pessoas que amam o que fazem e querem pôr a mão na massa. A importação de funcionários ajuda muito, até para termos a visão de outros países e implantar novos modelos de gestão no Brasil”, completou Hopf.
Para expandir suas atividades, a GetNet Tecnologia deve usar um modelo de negócios igual ao que tem no Brasil. Hoje todos os funcionários da empresa já estão tendo aulas de espanhol. “No momento, não pensamos mais na ‘tropicalização’ dos produtos e serviços, e sim na ‘espanização’ dos nossos softwares”, explicou Hopf.
Gestão em curto prazo
Em apenas três anos de existência, a GetNet Tecnologia atingiu a meta de 100 mil estabelecimentos afiliados. Hoje, o principal produto da empresa é uma rede multisserviços, tecnologia exclusiva na América Latina. Uma mesma plataforma, disponível principalmente em aparelhos POS ou com software integrado nos computadores do cliente, efetua transações de diversos cartões de crédito, débito, private label, benefícios e PAT.
A empresa também realiza a recarga de telefonia pré-paga e bilhetagem eletrônica, arrecada pagamentos de contas com códigos de barra e faz consultas on-line junto ao Serasa sobre cheques e pendências financeiras. Os estabelecimentos que utilizam a solução estão distribuídos em cerca de 3,2 mil municípios, de todos os estados brasileiros.
Para o presidente da GetNet, a rápida trajetória de crescimento da empresa está estritamente relacionada com o sucesso que a rede de multisserviços está obtendo no mercado brasileiro. “É uma ferramenta que traz muitas vantagens para os estabelecimentos, como redução de custos de estrutura e faturamento extra com cada serviço disponível na rede. Além disso, um ponto comercial que oferece opções como recarga eletrônica e arrecadação de contas tem um aumento no fluxo de clientes”, afirma Hopf.
O processo de estruturação da empresa também é destacado pelo presidente. “A GetNet lançou uma meta ambiciosa, mas se preparou para alcançá-la. Desde seu início, a empresa fez grandes investimentos em infra-estrutura, tecnologia e pessoal. Hoje, conseguimos prestar um atendimento comercial eficiente em todos os cantos do Brasil”, conta Hopf.
O grande salto da empresa foi verificado no ano passado. A GetNet havia fechado 2005 com sete filiais, 64 bases de apoio e 373 funcionários em todo o País. Em 2006, esses números passaram a 12, 100 e 720, respectivamente.
A estrutura da GetNet é composta pela matriz, no Rio Grande do Sul, e 12 filiais localizadas em Curitiba, São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém.
DCI
TAX ACCOUNTING, 9/4/2007  15:48:20  
Enviar Imprimir

 

CONSULTORIA TRIBUTÁRIA - PARECERES E RESPOSTAS A CONSULTAS - PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA - AUDITORIA FISCAL